Seguidores

sábado, 11 de agosto de 2018

Fabricante de agrotóxicos é condenada a pagar mais de R$ 1 bilhão a americano que teve câncer

Republicado da BBC BRASIL

                                             Paula Sperb De Porto Alegre para a BBC Brasil

A companhia Monsanto, gigante da indústria química e do agronegócio, foi condenada pela Justiça americana a pagar US$ 289 milhões (R$ 1,1 bilhão) a um homem com câncer.

Plantação de soja sendo tratada com agrotóxicos na argentina
Herbicidas contendo glifosato são muito usados por agricultores

O jardineiro Dewayne Johnson afirma que sua doença foi causado por herbicidas da empresa.

Em um caso emblemático, um tribunal do juri na Califórnia considerou que a Monsanto sabia que seus herbicidas "Roundup" e "RangerPro", que contém glifosato, eram perigosos e falhou em alertar os consumidores.


O processo foi o primeiro alegando que agrotóxicos com glifosato causam câncer a ir a julgamento.

terça-feira, 31 de julho de 2018

BBC News Brasil: “O holandês que foi de entusiasta de agrotóxicos a pioneiro de orgânicos no Brasil”

'Competíamos para ver quem tinha mais químico nas mãos': O holandês que foi de entusiasta de agrotóxicos a pioneiro de orgânicos no Brasil'

Tini e Joop
Joop e Tini se conheceram no Brasil, mas ambos vieram de famílias grandes e ligadas à terra na Holanda; juntos, descobriram paixão por orgânicos


A história de um homem que durante anos de sua vida se orgulhou de ser um “especialista em veneno” e hoje é produtor da agricultura orgânico e ferrenho opositor dos agrotóxicos.

O passo a passo dessa transformação foi contado pela jornalista Camila Costa em reportagem publicada nesta segunda-feira (19) no site da BBC News Brasil. É a história do holandês Joop Stoltenborg, que decidiu parar de usar agrotóxicos depois que presenciou vários acidentes. Um amigo de Stoltenborg foi intoxicado pelo vazamento de uma máquina de pulverizar, e o veneno penetrou nos rins. “Ele ficou muitos meses na cama e até hoje sofre com problemas renais. Tudo isso mexeu muito comigo", afirmou o produtor à reportagem da BBC.

O sítio da família do agricultor holandês produz tomates em estufa usando apenas produtos com certificado orgânico e faz rotação de culturas. Com 30 funcionários, o Sítio A Boa Terra produz couve-flor, brócolis, abobrinha, batata inglesa, batata doce, beterraba, cenoura, gengibre, inhame, mandioca, milho, pepino japonês, alho, quiabo, rabanete, açafrão, diversos tipos de alface, almeirão, escarola, rúcula e temperos em geral.

Numa palestra realizada em São Paulo, no último mês de março, Stoltenborg começou colocando cuidadosamente uma máscara e borrifando veneno em um prato de salada fresca. "Aqui eu usei só a dose permitida, dentro das normas”, disse ele. “Agora quero ver quem quer comer essa comida", desafiou. Ninguém se encorajou.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Fonte: Ascom/Consea, com informações da BBC News Brasil
           Segurança Alimentar e Nutricional


segunda-feira, 30 de julho de 2018

Pesquisa relaciona agrotóxicos a puberdade precoce e má-formação congênita.




Meninas de um ano que desenvolveram mamas moram em comunidades cercadas de plantações no Ceará. Críticos dizem que projeto de lei dos agrotóxicos aumenta risco de intoxicações



A professora Antônia Lucí Silva Oliveira resistiu em reconhecer que o corpo da filha não estava normal. Aos seis meses de idade, ela começou a notar o crescimento das mamas da menina. Com 1 ano e 6 meses, quando o desenvolvimento era “avançado e inegável” aos olhos da mãe, um ultrassom diagnosticou telarca prematura, a primeira fase do desenvolvimento das mamas. “Para me acalmar, o médico disse que estava recebendo muitos casos como o dela da nossa região”, lembra Lucí.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Tem bisfenol A no cupom do mercado? Qual o perigo da substância à saúde?

iStock



Após pagar por suas compras, você recebe das mãos da funcionária o cupom fiscal --impresso em papel térmico.
O que você pode não saber é que ele tem bisfenol A (BPA), uma substância química que provoca um desequilíbrio no corpo humano, podendo induzir ou inibir a produção de hormônios no organismo, sendo relacionado --por conta disso -- a problemas como obesidade, diabetes e infertilidade.... 



Veja o artigo completo em : https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/07/27/sabe-o-recibo-que-voce-pega-no-comercio-pode-ser-perigoso-para-a-saude.htm


quarta-feira, 27 de junho de 2018

Na contramão de Europa e EUA, Brasil caminha para liberar mais agrotóxicos


 BBC News Brasil (*)

Se o novo PL 6.299/2002, aprovado na noite de segunda-feira por uma comissão especial da Câmara dos Deputados, virar a nova lei de agrotóxicos, o Brasil estará na contramão das decisões recentes de países da União Europeia.

É o que diz a pesquisadora Larissa Mies Bombardi, do Laboratório de Geografia Agrária da Universidade de São Paulo (USP), autora do atlas Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia, de 2017, que mapeia o uso dessas substâncias em todo o país e o compara com o uso nos países da UE.

"Para se ter uma ideia, eles (os europeus) acabaram de proibir o uso de inseticidas chamados de neonicotinoides, que são dos mais vendidos no mundo, por que pesquisas mostravam uma relação entre eles e a mortandade de abelhas", disse à BBC News Brasil.

"Aqui, essas substâncias ainda são usadas. E agora, com o novo projeto de lei, ainda vamos ampliar o leque de agrotóxicos disponíveis no mercado."

Veja a reportagem completa no link abaixo:

 (*) https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44621328

terça-feira, 19 de junho de 2018

Pesquisa relaciona agrotóxicos a puberdade precoce e má-formação congênita

Reportagem republicada do JORNAL FLORIPA - (Waleska Santiago)
Marcia Xavier, filha do líder assassinado José Maria do Tomé, acompanha com preocupação os problemas de saúde da filha, hoje com 5 anos

Marcia Xavier, filha do líder assassinado José Maria do Tomé, acompanha com preocupação os problemas de saúde da filha, hoje com 5 anos

A professora Antônia Lucí Silva Oliveira resistiu em reconhecer que o corpo da filha não estava normal. Aos seis meses de idade, ela começou a notar o crescimento das mamas da menina. Com 1 ano e 6 meses, quando o desenvolvimento era "avançado e inegável" aos olhos da mãe, um ultrassom diagnosticou telarca prematura, a primeira fase do desenvolvimento das mamas. "Para me acalmar, o médico disse que estava recebendo muitos casos como o dela da nossa região", lembra Lucí.

O mesmo diagnóstico foi dado a pelo menos outras duas meninas da mesma comunidade, com cerca de 2.500 habitantes, no interior do Ceará. O povoado fica na Chapada do Apodi, onde aviões e tratores pulverizam agrotóxicos em plantações de banana, melão e outras frutas para exportação.

Além das meninas com puberdade precoce, a mesma comunidade teve ainda oito registros de fetos com má formação congênita, casos que foram relacionados à alta exposição dessas famílias aos agrotóxicos por nova pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará.

domingo, 29 de abril de 2018

Há efeitos diretos do glifosato sobre as grávidas

28 de Abril de 2018 por Luiz Jacques (*)

O que não conhecemos pode estar nos matando!

INDIANAPOLIS — O primeiro estudo coorte de nascimento deste tipo detectou que mais de 90% do grupo de mulheres grávidas em Central Indiana detectou níveis de glifosato, o princípio ativo no produto comercial ‘Roundup’ (nt.: produto pertencente à transnacional Monsanto), o herbicida mais pesadamente usado em todo o mundo.

Pesquisadores tanto da Indiana University e como da University of California San Francisco reportaram que os níveis de glifosato estão correlacionados significativamente com o abreviamento do tempo de gravidez.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Aplicativo auxilia na identificação de inimigos naturais de pragas agrícolas


Uma das maiores dificuldades para o produtor é identificar os inimigos naturais das pragas que atacam sua lavoura, especialmente para quem pretende utilizá-los como método de controle, pois esses aliados naturais podem ser confundidos com as próprias pragas. Para facilitar a identificação, especialistas da Embrapa Agrobiologia (RJ) desenvolveram um aplicativo com o qual é possível acessar imagens dos agentes naturais de controle mais comuns. O Guia InNat é gratuito e está disponível para download na loja de aplicativos Google Play.

Com um smartphone em mãos, o produtor pode comparar um inseto coletado em campo com a galeria de imagens. Além disso, pode ir para o campo, fotografar um inseto presente na sua lavoura e comparar no mesmo momento a foto tirada com a câmera do celular com as imagens da galeria do Guia InNat. Além de fotos, o aplicativo contém informações sobre cada grupo de inimigo natural e sua função na natureza. “De nada adianta a presença de insetos benéficos na lavoura, se o agricultor confundi-los com os que podem causar danos à plantação”, alerta a pesquisadora da Embrapa Alessandra de Carvalho Silva, especialista em controle biológico de pragas e uma das idealizadoras do aplicativo.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Composto feito com ipê roxo pode ajudar no tratamento do câncer de mama

Ipê roxo na rodovia SP 215, em Porto Ferreira (Foto: Fabiana Assis/G1)

Em testes de laboratório, substância desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) foi 100 vezes mais eficiente que medicamentos atuais.


 Ipê, uma das árvores mais queridas e representativas do Brasil, pode, no futuro, ajudar muito na cura do câncer de mama. Uma pesquisa desenvolvida pela doutoranda Kátia Mara de Oliveira, do Departamento de Química da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), sob a orientação do professor Alzir Batista, mostrou em testes em laboratório que o lapachol, uma substância retirada da casca do ipê roxo, tem alto poder de mortandade sobre as células do câncer de mama.

 A pesquisa ocorre desde 2012. O objetivo da química era aliar produtos naturais com propriedades anticancerígenas ao rutênio, um metal muito parecido com o ferro – que ajuda a transportar as substâncias até as células doentes – para criar compostos mais eficientes que os medicamentos utilizados para o tratamento de câncer atualmente e diminuir os efeitos colaterais.

Veja a reportagem completa no link abaixo:

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Agrotóxicos: debates espinhoso , mas necessário

Pessoal, para quem quiser saber um pouco, sobre a utilização de agrotóxicos no estado do Paraná, o blogue esta reproduzindo uma reportagem da Folha Rural!






Se existe um assunto espinhoso no agronegócio mundial, sem dúvida, é referente à utilização de agrotóxicos ao longo das últimas décadas. Informações desencontradas e discursos tendenciosos muitas vezes acabam deixando a população que consome o que é produzido no campo com muitos questionamentos, em um nebuloso fogo cruzado.